sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Bolt Bicampeão

Bolt bicampeão e o "maior de todos os tempos"

Usain Bolt tornou-se o primeiro velocista a ganhar os 100 e os 200 metros em duas edições seguidas dos Jogos Olímpicos, ao vencer a final dos 200 metros em 19,32 segundos, a sua melhor marca do ano.

Bolt, de 25 anos, conseguiu aquilo que nem Carl Lewis foi capaz e, usando as palavras do próprio, tornou-se uma lenda do atletismo.


Esta é a quinta medalha de ouro do jamaicano em cinco finais em Jogos Olímpicos, depois de ter conquistado três (100, 200 e 4x100m) em Pequim e agora mais duas em Londres. No sábado, Bolt tentará a sexta medalha, na estafeta de 4x100m (21h), se não houver surpresas nas eliminatórias de sexta-feira.

Com vento ligeiramente favorável (0,4 m/s), o jamaicano ficou apenas a dois centésimos do recorde olímpico dos 200 metros (19,30s dele próprio em Pequim), ficando até a sensação de que poderia ter feito um tempo ligeiramente melhor, já que as últimas passadas não foram feitas totalmente a fundo.

A marca de Bolt nestes 200 metros igualou a quarta melhor de sempre (19,32 de Michael Johnson em Atlanta 1996), ficando apenas atrás do recorde mundial do jamaicano (19,19s em Berlim 2009), do 19,26s de Yohan Blake (Bruxelas 2011) e do 19,30s do próprio Bolt (Pequim 2008).

A prova da meia volta à pista em Londres foi também mais uma demonstração da superioridade da Jamaica na velocidade, com Yohan Blake (19,44s) e Warren Weir (19,84s) a ficarem com as restantes medalhas.

O americano Wallace Spearmon ficou em quarto (19,90s), enquanto o francês Christophe Lemaitre, que se guardou para esta prova, foi apenas sexto (20,19s, um tempo 16 centésimos pior do que havia feito nas meias-finais), atrás do holandês Churandy Martina (20,00s).

"A Jamaica está por cima. É maravilhoso ver os companheiros ao meu lado no pódio", disse Bolt, após uma corrida em que ainda viu Blake aproximar-se à entrada da recta da meta, antes de reagir de imediato, comprovando que o jovem jamaicano ainda não está à sua altura.

Quando chegou à meta, Bolt colocou o dedo na boca, num aparente sinal a mandar calar alguém.

“[O sinal] foi para os diziam todo o tipo de coisas, que eu podia ser derrotado. Agora podem falar: sou uma lenda. Consegui o meu objectivo”, explicou mais tarde Bolt, em conferência de imprensa.

Ganha a corrida, Bolt deu um outro espectáculo, ao seu melhor estilo. Abraçou os companheiros, abraçou adeptos, beijou a pista, gesticulou, festejou com a sua imagem de marca (o raio) e até pegou na câmara fotográfica de um repórter para fotografar Yohan Blake e não só.

Depois recebeu a medalha e sentenciou perante os jornalistas: "Agora sou o maior de todos os tempos."

Final dos 200 metros

1.º Usain Bolt (JAM) 19,32s
2.º Yohan Blake (JAM) 19,44s
3.º Warren Weir (JAM) 19,84s
4.º Wallace Spearmon (EUA) 19,90s
5.º Churandy Martina (HOL) 20,00s
6.º Christophe Lemaitre (FRA) 20,19s
7.º Alex Quinonez (EQU) 20,57s
8.º Anaso Jobodwana (AFS) 20,69s



Fonte: publico