segunda-feira, 16 de julho de 2012

Memorial Francisco Lázaro


Numa prova deste simbolismo devemos sempre começar pela história de a quem se presta homenagem.
Retirado da wikipédia:
“Francisco Lázaro almoçou às 10 horas do domingo 14 de Julho de 1912. Os seus colegas contaram que estava confiante. Foi levado de automóvel para o estádio, dirigindo-se para o balneário. O calor era sufocante: 32°C. Pouco antes do início da corrida da maratona, Armando Cortesão e Fernando Correia, seus colegas da equipa olímpica, foram procurar Lázaro que ainda não estava junto à partida. Encontraram-no a besuntar-se com sebo. Cortesão e Correia tentaram dissuadir Lázaro e tentaram que ele tomasse um banho, mas não havia tempo. Lázaro foi correr a maratona todo besuntado com sebo, com os poros da pele tapados, o que impedia a transpiração cutânea.
Lázaro começou bem a corrida de na cabeça do pelotão. Os restantes 5 portugueses da equipa olímpica tinham-se colocado ao longo do percurso, para ajudarem e incentivarem Lázaro. Ao km 15, Lázaro era 27.º, com um atraso de 4 minutos para o líder da prova. Ao km 25, era 18º, e seguia de muito perto os homens da frente. Terá dito que estava bem, apenas com sede, tendo bebido sofregamente a água que lhe foi dada. Ao km 35, os colegas Pereira e Stromp aguardavam pela passagem de Lázaro, que nunca mais chegava, deixando-os preocupados. Também alarmados, Cortesão e Fernando Correia, que estavam no estádio, entraram numa viatura e cumpriram, no sentido inverso, todo o percurso, sem encontraram sinal de Lázaro. A triste notícia do abandono de Lázaro foi-lhes dada por António de Castro Feijó, o embaixador de Portugal na Suécia. Ao km 29, na colina de Öfver-Järva, Lázaro tinha cambaleado, caído por várias vezes e por várias vezes se levantado para continuar a prova, até cair para não mais se levantar. Um médico foi-lhe prestar assistência. Aplicou-lhe gelo em plena estrada. Levaram-no para o hospital onde lhe diagnosticaram erradamente uma meningite. Viria a morrer na madrugada do dia seguinte.”
Estive ontem em Benfica, junto ao campo do Clube de Futebol Benfica, conhecido como Fó-Fó, para mais uma corrida, desta feita o Memorial Francisco Lázaro, corrida que homenageia esse magnifico maratonista no centésimo aniversário da sua trágica morte, em plena maratona dos Jogos Olímpicos de Estocolmo.
As as dificuldades do percurso, principalmente a 2ª metade, bem como o calor que se fazia sentir, tornaram esta prova muito difícil para alguém do meu nível.
A partida foi dada à hora marcada e começa logo com uma subida de 700 metros que leva os mais fracos (eu) a pensar no que vem aí.
Daí até Sete-Rios era ligeiramente até aos 5 Km's onde fazíamos o retorno.
O abastecimentos feito debaixo de uma ponte mantinha as àguas frescas o que sabia mesmo bem naquela altura. Logo após o abastecimento, mas agora pela ciclovia que acompanha a radial de Benfica começaram 3 Km's quase sempre a subir.
Por fim vieram os últimos 2 Km's num misto de sobe-e-desce até à descida final acabando no campo de futebol onde estava instalada a meta.
Quanto à minha prestação, foi melhor do que o esperado devido à quantidade de subidas existentes.
Fico com a sensação teria alcançado uma marca mais satisfatória se a prova fosse mais plana mas mesmo assim considero que obtive um resultado positivo.